EDUCAÇÃO

Aula inaugural do PPgEM lota auditório do Labcom

Convidada para tratar sobre a historicidade dos processos comunicacionais na aula inaugural do Programa de Pós-graduação em Estudos da Mídia, Marialva Barbosa, professora titular da Universidade Federal do Rio de Janeiro, apontou que o tema ainda é pouco frequente em pesquisas de mestrado e doutorado do Brasil, quando comparado a temáticas consideradas ultra contemporâneas tais quais o Facebook. A informação apresentada pela professora chamou a atenção dos estudantes e professores que lotaram, na última quinta-feira (22), o auditório principal do Departamento de Comunicação Social da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Ao antecipar alguns resultados parciais de sua mais recente pesquisa ​sobre os temas abordados nas dissertações e teses brasileiras, a professora destacou que ainda são poucos os pesquisadores que se dedicam a estudar a história da comunicação, do jornalismo e dos meios. ​Para desmistificar a ideia de que só os historiadores podem pesquisar, registrar e analisar a historicidade dos processos comunicacionais, a professora apresentou o seu método e procedimentos de pesquisa e afirmou que nada impede que os pesquisadores da comunicação assumam essa tarefa. Crítica do que classifica como “presenteísmo”, a pesquisadora, que também é uma  das fundadoras da Associação Brasileira de Pesquisadores da História da Mídia (Alcar), aponta os riscos de analisar os diferentes temas da comunicação de forma dissociada do passado e do futuro. “O mundo pode ser lido como texto e contexto”, afirma, destacando que ​o passado só pode ser recuperado pelos sinais que permanecem no presente, a partir dos seus rastros e vestígios. Para a autora do livro Escravos e o mundo da comunicação: oralidade, leitura e escrita no século XXI, lançado em 2016, há um entendimento de que é preciso dar voz aos excluídos, consultando não só os documentos oficiais, mas ouvindo as mais variadas testemunhas da História a fim de retirar informações relevantes ​da condição de esquecimento.​ Este, segundo ela, deverá ser o legado do século XXI. 

OBJETIVO ATINGIDO   

De acordo com a coordenadora do Programa de Pós-graduação em Estudos da Mídia, Valquíria Kneipp, a aula magna atingiu o objetivo proposto ao aproximar as pesquisas realizadas pelo programa potiguar com as pesquisas e metodologias desenvolvidas pela professora Marialva Barbosa no Rio de Janeiro, através do intercâmbio de experiências.  Segundo Valquíria Kneipp, os pesquisadores recém-chegados ao programa desejavam se aprofundar nas questões metodológicas da pesquisa e, por coincidência, a professora Marialva leciona Metodologia na UFRJ, “então ela não mediu esforços, explicou e discutiu com eles”, no workshop realizado no dia anterior à aula magna com os estudantes da pós-graduação em Estudos da Mídia. Aos ingressantes, ​Marialva Barbosa aconselhou que investiguem aquilo que os afeta individualmente, mas que seja relevante para a coletividade. 

PPGEM   

O Programa de Pós-graduação em Estudos da Mídia desenvolve estudos e pesquisas sobre a comunicação midiática no contexto de suas práticas sociais e na esfera da sua produção de sentido. O programa oferece Mestrado e Doutorado e conta com a participação de 16 profissionais permanentes em sua equipe de professores.     

Para mais informações sobre o PPgEM, acesse http://www.cchla.ufrn.br/ppgem/