I SEMANA DE JORNALISMO

Quarto dia da Semana de Jornalismo

As oficinas não param. Na manhã, desta quinta-feira, temas como estes estiveram em debate: assessoria, o jornalismo e as questões de gênero. As atividades ocorreram de forma simultânea, com grande participação de alunos, profissionais, pesquisadores e público em geral com interesse na temática.

Na oficina intitulada: Jornalismo e o público LGBT, ministrada pelo jornalista Allyson Moreira, apresentou desde o significado da sigla (lésbicas, gays, bissexuais, transexuais e transgêneros), falou sobre os obstáculos e dificuldades enfrentadas por esse grupo, esclareceu informações sobre formas de auto-identificação e falou sobre as diferenças entre estas nomenclaturas, tais como: travesti, transexual, transgênero, bissexual drag Queen e King, Cisgênero, entre outras.

Durante a manhã, ocorreu também a oficina que tratou sobre a assessoria nos órgãos públicos, especificamente o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN). Na ocasião, a publicitária Clara Bezerra falou sobre os trabalhos realizados na instituição, da produção de folders, divulgação de informações, postagens de notícias, da tentativa de melhor se aproximar dos alunos e comunidade, através das redes sociais.

A publicitária acredita que a assessoria de comunicação tem um papel social de reforçar a marca, dando sentimento de pertencimento ao lugar, fazendo com que os alunos consigam mesmo ao concluir seus estudos, levar uma imagem positiva e servir como divulgador das ações acadêmicas e profissionais do instituto.

Em comum as oficinas enfatizaram o papel social do jornalista. Para quem tiver interesse em saber mais sobre as questões de gênero, Allyson divulgou  o Grupo Tiresias,localizado na sala 402, do Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes (CCHLA). Sobre a assessoria no IFRN, o contato para maiores informações pode ser através do e-mail: clara.bezerra@ifrn.edu.br