MEIO AMBIENTE

Projeto estimula reconhecimento dos biomas através dos sentidos

Estudantes do Programa de Educação Tutorial (PET) do curso de Geografia da UFRN trouxeram um experimento diferente para a XXI Cientec. Com o projeto intitulado de “Sentindo a Geografia: percepções sensoriais nos biomas nordestinos”, o público é convidado a reconhecer os quatro biomas nordestinos através da utilização dos sentidos humanos.

“Nosso objetivo foi trazer para o público uma proposta de entender o meio ambiente através de outros sentidos que não seja apenas a visão. Temos o olfato, a audição, o tato e o paladar. Então é importante que possamos desenvolver esses sentidos para ter a percepção dos biomas nordestinos, o amazônico, o cerrado, a mata atlântica e a caatinga”, conta o monitor Tárcis Trajano, estudante de Geografia e integrante do PET.

A primeira forma de reconhecimento de um dos biomas é através do tato, em que as pessoas são convidadas a colocarem suas mãos dentro de caixas que contém as maquetes. Em seguida, são reproduzidos em fones de ouvido os sons predominantes do bioma representado.

“Por exemplo, para representar o cerrado colocamos grama no fundo da caixa e alguns tipos de arbustos. Então, quando a pessoa está utilizando o tato e a audição, ela tende a identificar que ali é uma representação do cerrado, devido à predominância da grama e dos sons característicos do bioma presentes na maquete”, explica Tárcis.

Além disso, os monitores também realizam explanações sobre o tema através de cartazes informativos, bem como destacam a importância de se preservar o meio ambiente. “Pretendemos estimular a percepção sensorial das pessoas e que, além disso, é importante preservar esses biomas. Cada um tem suas características e sua importância para o ecossistema como um todo”, ressalta o estudante.