CIENTEC 2015

Cinólogo discute adestramento de cães durante a Cientec

Comportamento e processo de domesticação canina. Este foi o tema da palestra que deu continuidade às discussões que acontecem no Pavilhão Fazendinha na 23ª Semana de Ciência, Tecnologia e Cultura da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Ministrada pelo cinólogo comportamentalista Renato Costa, a palestra tratou da relevância do processo de educação aos cães e a importância de diferenciar o treinamento do adestramento. “O treinamento está dentro do adestramento”, explicou.

Sempre acompanhado de sua cadela Pipa, fêmea de raça Labrador com quase seis anos, Renato relatou dois resgates protagonizados pela parceira. “Quando tinha apenas dois anos, Pipa participou de uma busca por cadáveres em um acidente envolvendo uma aeronave. Encontrou, inclusive, pessoas ainda vivas”, declarou ele, orgulhoso. Recentemente, a cadela também esteve no resgate advindo do desabamento do morro de Mãe Luiza, bairro localizado na Zona Leste de Natal.

Renato enfatizou que os cães são animais que vivem em matilha, isto é, possuem entre si uma organização inerente a esse grupo que precisa ser respeitada para haver um entendimento mútuo. “O costume errôneo de tratar os cães como gente, impondo-os à humanização, é a principal causa dos maus-tratos que visualizamos atualmente”, disse.

Renato pontuou ainda situações que dificultam o processo de educação do cão. Dentre os citados, estavam à falta de entendimento dos instintos e do respeito, relacionados à sua pré-disponibilidade para executar a tarefa desejada, assim como os desentendimentos, ou seja, a ausência da consciência de que somos diferentes desde o pensar ao agir. “A principal atividade de vida do cão é se higienizar, por isso se lambe sempre. Não podemos esperar que ele não vá lamber o travesseiro se o colocamos para dormir conosco”, disse.

Além disso, o cinólogo falou sobre outro projeto que participa, que promove a utilização de cães visando a melhora de crianças com baixa imunidade.

O trabalho em questão é realizado em instituições que tratam de crianças, como a Casa de Apoio à Criança com Câncer Durval Paiva e a Liga Norteriograndense Contra o Câncer.

O trabalho tem ajudado os pequenos que, ao terem contato com o animal, despertam novamente a alegria em razão do contato. “Em uma das visitas, impulsionou-se a veia da Pipa para depois impulsionar a das crianças”, relatou.

Quem?

Renato realiza consultas comportamentais caninas e tem projetos voluntários em algumas instituições. Formado em Enfermagem, o comportamentalista é amante de animais e possui um quadro no Programa de televisão PetZoo denominado Dr. AuAu.