CULTURA

Tunico Amâncio exibe documentário “Olhar Estrangeiro” na UFRN

Por Bianca Pessoa

     Aconteceu nessa manhã de segunda o primeiro encontro do evento 7 Estrelas, que ocorreu no auditório do Labcom, com o professor e pesquisador de cinema da Universidade Federal Fluminense e vice-presidente da Sociedade Brasileira de Estudos de Cinema e Audiovisual, Tunico Amâncio. 

      Tunico iniciou a palestra explicando um pouco sobre a sua formação acadêmica e deu introdução ao tema principal: as adaptações e visões do Brasil pelo estrangeiro, apresentando as ideias que ele expôs em sua tese de doutorado, na qual virou livro intitulado de “O Brasil dos gringos: imagens no cinema”.

    A palestra seguiu de forma bastante intimista e ele ia aos poucos mostrou aos expectadores como a indústria estrangeira de cinema, principalmente a americana, utilizava de clichês e lugares comuns para representar a “realidade” do Brasil. Segundo Tunico, essa realidade, que era claramente distorcida, vinha de um contexto histórico levando em conta que o Brasil demorou mais de 300 anos para conseguir desenvolver algo que fosse realmente característico de si próprio. 

     O cinema no século XX faria, então, o papel de grande revelador da realidade do país tupiniquim. Tunico que assistiu a mais de 260 filmes para assegurar a sua tese, foi citando tais filmes e ilustrando o seu discurso com vídeos - incluindo o documentário “Olhar Estrangeiro” que teve como base a tese de doutorado dele - e textos que falavam sobre os longas metragens estrangeiros que eram filmados no Brasil. E passavam para o resto do mundo uma imagem distorcida do que seria a verdadeira aparência do país.